terça-feira, 18 de agosto de 2015

Pilotos de cinco nacionalidades comandam a classificação do Moto 1000 GP

Categoria principal do Brasileiro de Motovelocidade tem motocicletas de marcas diferentes nas três primeiras posições do campeonato.



A quinta temporada do Moto 1000 GP já está em sua segunda metade. As corridas do GP Lubrax, que vão dar sequência ao Campeonato Brasileiro de Motovelocidade no Autódromo Internacional de Curitiba em 30 de agosto, terão pilotos na pista na disputa pela vitória na quinta das oito etapas que compõem o calendário, com disputas subdivididas nas categorias GP 1000/GP 1000 Evo, GP 600/GP 600 Evo, GP Light e GPR 250.

A GP 1000, categoria principal do Moto 1000 GP, destaca a aparição de pilotos de cinco nacionalidades nas cinco primeiras posições no campeonato. O francês Matthieu Lussiana, campeão em 2014, conquistou três vitórias pela BMW Motorrad Petronas Racing e soma 101 pontos, 28 a mais que o vice-líder argentino Diego Pierluigi, que nas quatro primeiras etapas somou uma vitória e dois segundos lugares com a Kawasaki da JC Racing Team.

O terceiro é o português Miguel Praia, piloto da Honda da Center Moto Racing Team. Com um segundo, um terceiro, um quarto e um quinto lugar, ele soma 60 pontos. Atual vice-campeão da GP 1000, Wesley Gutierrez é o melhor brasileiro na tabela. Inscrito com a Kawasaki da Motonil Motors-PDV Brasil, é o quarto, com 51. Em quinto está o italiano Sebastiano Zerbo, que chegou a 37 pontos com a Kawasaki da Target Race Superbike Team.

Se a classificação da GP 1000 apresenta pilotos de marcas diferentes de motocicletas ocupando as três primeiras posições, o equilíbrio técnico fica ainda mais evidente na pontuação da classe Evo, implantada em 2015 e que contempla com classificação distinta os pilotos em fase de ascensão de suas carreiras. Os quatro primeiros na tabela do Brasileiro de Motovelocidade da GP 1000 Evo utilizam marcas diferentes de motos.

Com duas vitórias cada, os paulistas Nick Iatauro e Diego Pretel estão à frente dos demais na GP 1000 Evo. Iatauro, piloto do Team Suzuki-PRT, soma também um segundo e um sétimo lugar, liderando com 79 pontos, nove a mais que Pretel, piloto da Ducati-DRT. Em terceiro e quarto surgem os paranaenses Victor Moura, que chegou a 56 pontos com a BMW da M2B Racing, e Marcos Salles, que soma 36 com a Honda da MS Racing Team.

As motocicletas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o lubrificante Lubrax Tecno Moto. A Petrobras e a Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, que fornece os pneus de competição a todas as equipes. O Moto 1000 GP também conta em 2015 com o apoio de Beta Ferramentas, MSR Macacões Personalizados, Puig, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

Texto: Grelak Comunicação
Foto: Rodrigo Ruiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário