quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Rafa Matos é o mais rápido em sua categoria nos testes da TUSCC em Daytona

Piloto da Hot Car, na Stock, também vive expectativa de participar das 24h de 2014.



Ele já havia acelerado neste que é um dos mais tradicionais circuitos do automobilismo mundial no comando de carros da categoria Daytona Prototype e GTD, mas apenas com a unificação dos campeonatos de endurance nos Estados Unidos, pôde comandar um protótipo aberto - o Oreca Chevrolet V8 da equipe Performance Tech Motorsports.

De folga na Stock Car e com contrato renovado para seguir na categoria brasileira a bordo da máquina de número 2 da Hot Car (Bardahl), o mineiro Rafa Matos fez bonito nos treinos coletivos do Tudor United Sportscar Championship (TUSCC) em Daytona, realizados na terça e quarta-feira, e foi o mais rápido na classe LMPC.

A marca de 1min42s830 estabelecida pelo mineiro na segunda sessão de treinos foi ainda a quinta melhor no geral entre os 40 inscritos, superando as de vários Daytona Prototypes (DP) e LMP2, máquinas que compõem a categoria mais veloz da competição. Rafa e os engenheiros do time trabalharam no acerto do equipamento ao longo do dia e o resultado superou as expectativas, confirmando que os LMPC podem lutar pela vitória geral nas 24h de Daytona caso os organizadores não façam novos ajustes no regulamento.

"Nosso carro freia mais e é bem melhor de curva do que os Daytona Prototypes, mas perde em velocidade final, especialmente no trecho do oval, o que é algo normal. Mas ele é bem mais divertido de pilotar no circuito. A equipe gostou muito do meu desempenho e a participação nas 24h está encaminhada. Agora é definir quem serão os demais pilotos do time", explica o piloto de Belo Horizonte, vencedor da prova na categoria GT em 2008, com um Mazda RX-8.

Rafa comentou ainda os problemas de pneus enfrentados pelos carros das equipes Action Express e Spirit of Florida, que sofreram acidentes graves (felizmente sem problemas físicos) e levaram a organização a suspender os treinos para os protótipos no segundo dia. "Não tivemos problemas porque os pneus Continental são os usados na categoria desde o começo do ano, e as equipes conhecem bem seu comportamento e sabem as regulagens ideais. No caso dos DPs, foi a primeira vez que eles andaram aqui com o novo pacote aerodinâmico, com muito mais downforce, era um momento de adaptação. Para evitar maiores problemas, foi a decisão acertada", comentou.

O mineiro volta a acelerar pela Stock Car no dia 15 de dezembro, em Interlagos, na última etapa, a Corrida do Milhão. Em 11º lugar no campeonato, o objetivo é terminar o ano entre os Top-10.



Texto: FG Com
Foto: Vanderley Soares

Nenhum comentário:

Postar um comentário