sexta-feira, 27 de setembro de 2013

CBM mantém Moto 1000 GP como Brasileiro de Motovelocidade para 2014

Presidente da Confederação frisa avaliação positiva da parceria com o evento “que deu certo e está crescendo sempre”.


  “Uma experiência gratificante”. Foi com esta expressão que o presidente da Confederação Brasileira de Motociclismo, Firmo Henrique Alves, definiu sua avaliação da parceria da entidade com o Moto 1000 GP, celebrada neste ano e que homologou a competição como Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. O dirigente acompanhou as corridas da quinta etapa, no último domingo (22) no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, São Paulo (SP).

Criado e organizado pelo ex-piloto Gilson Scudeler, o Moto 1000 GP tem em disputa o título brasileiro nas categorias GP 1000, GP Light, GP Máster, GP 600 e GPR 250. “Até o ano passado nós tínhamos acordo com outro parceiro e optamos por mudar neste ano, passando ao Gilson a incumbência de promover o Campeonato Brasileiro. A avaliação é excelente, uma experiência bastante gratificante, seja na organização ou nos aspectos promocionais”, declarou.

Firmo Alves destacou a repercussão internacional do Moto 1000 GP. “O campeonato tem sido visto com bons olhos lá fora, já é conhecido por todos, o nível é bom e tem atraído pilotos estrangeiros”, disse. “Em termos de Brasileiro, nós perdemos muito tempo no passado, mas agora deu certo, está dando certo e crescendo sempre. Todos os representantes da CBM têm uma avaliação muito boa, e agora estou vendo com os meus próprios olhos”.

O presidente da Confederação Brasileira confirmou a manutenção do Moto 1000 GP como Campeonato Brasileiro de Motovelocidade em 2014. “Nós estamos satisfeitos e já decidimos pela continuidade. A organização em 2014 vai continuar nas mãos do Gilson Scudeler. A CBM não tem qualquer intenção de ser promotora do Campeonato Brasileiro, sou muito tranquilo para dizer. O campeonato tem dado certo e vai ser ainda melhor no ano que vem”.

A continuidade anunciada pelo presidente da CBM, segundo Scudeler, é reflexo dos resultados projetados e cumpridos. “Nós não assumimos apenas os compromissos de promover o Brasileiro e de fomentar o esporte. O trabalho é direcionado a formar profissionais em todas as áreas da motovelocidade. É uma contribuição nossa com a reconstrução da CBM, seguindo a conotação de profissionalismo e de continuidade da entidade”, avaliou.

O promotor do Moto 1000 GP enalteceu a condição favorável para que o evento cumpra as metas traçadas. “Nós temos um grande respaldo da CBM, o momento atual, sob vários aspectos, é favorável à motovelocidade. O cenário é propício para qualquer ação efetivas de desenvolvimento, a vinda do Mundial de MotoGP ao Brasil em 2014 é prova disso. Estamos satisfeitos, cumprindo e até superando as nossas próprias expectativas”, acrescentou Scudeler.

Todas as motocicletas do Moto 1000 GP utilizam como combustível a gasolina Petrobras Podium e como lubrificante o Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da BMW Motorrad e da Michelin, que fornece pneus a todas as equipes. O Brasileiro de Motovelocidade tem o apoio de Beta Ferramentas, BMW Serviços Financeiros, Servitec, LeoVince, Shoei, Tutto Moto, HPN, Denko, Airfence Brasil e Peterlongo.


Texto: Grelak Comunicação
Foto: Equipe Sanderson

Nenhum comentário:

Postar um comentário