sexta-feira, 24 de maio de 2013

Sena e Morestoni enaltecem adaptação ao carro do Brasileiro de Turismo

Pilotos da Motortech somaram 600 km em testes e já vivem expectativa para abertura do campeonato em Brasília.

  O primeiro contato em pista com os novos do Campeonato Brasileiro de Turismo trouxe impressões positivas à Motortech Racing. Inscrita na temporada de 2013 com os pilotos Luiz Sérgio Sena Júnior e Tito Morestoni, a equipe do Rio Grande do Sul acumulou cerca de 600 quilômetros em testes na atividade da última quinta-feira (23) no Autódromo Internacional de Tarumã, em Viamão (RS), que reuniu algumas das equipes participantes.

A primeira das oito etapas do Brasileiro de Turismo, campeonato criado em 2013 que vai servir como série de acesso à Stock Car, será disputada em 2 de junho no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília (DF). “Vai ser uma corrida bem interessante para nós, pelo que evoluímos com o carro nesse teste em Tarumã”, diz Adilson Morari, chefe de equipe da Motortech Racing – a equipe terá em seus carros as logos de Agrale, Harsil e CCJ.

“Foram treinos muito produtivos. Nós rodamos cerca de 300 quilômetros com cada carro sem que houvesse um único probleminha. Estamos falando de um carro muito sensível a qualquer modificação”, segundo relata Morari. “Isso foi uma das coisas que me impressionaram. Você mexe uma coisinha mínima e o resultado da mudança aparece. Percebemos, também, que os pneus desses carros permitem um desempenho muito constante”, acrescenta.

Sena Júnior, piloto de Caxias do Sul, teve um dia de novas experiências. “Minha referência era do carro do Gaúcho de Marcas. O carro do Brasileiro é muito rápido. Minha maior dificuldade ainda é passar para a equipe as reações do carro na pista”, admite. “Por enquanto o carro me leva. Acho que com duas ou três corridas eu é que vou levar o carro. Deu para ver que é um carro que oferece uma condição muito boa para o aprendizado que eu preciso”.

Seu companheiro de equipe é Tito Morestoni, catarinense de Blumenau, que já competiu na Copa Montana. “A gente conseguiu descobrir alguns dos segredinhos. O carro veio da fábrica com um acerto que provocava a saída de traseira, e isso já conseguimos corrigir”, manifesta. “É um carro bem gostoso e de reações previsíveis. Completei mais de 80 voltas, cheguei a ficar dolorido, mas conseguimos fazer o treino ser bem produtivo”, acrescenta.

Morestoni voltará à pista já neste fim de semana, na cidade de Lontras, onde vai pilotar um Omega pelo Campeonato Catarinense de Velocidade na Terra. “Estou parado há sete meses, é um bom meio de pegar mais um pouco de ritmo”, justifica o catarinense. A equipe Motortech Racing seguirá no início da semana para Brasília, onde no domingo será disputada a primeira das oito corridas do Campeonato Brasileiro de Turismo.

Texto: Grelak Comunicação
Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário